Marketing de Conteúdo para resultado

Você não precisa ser especialista em marketing para compreender a lógica por trás do Marketing de Conteúdo. Pense comigo: o que você faz quando está com um problema, uma dúvida ou vontade de comprar alguma coisa? Nem precisa pensar muito, certo? Você ‘corre’ pro Google para pesquisar.

O buscador é a porta de entrada do consumo e os diferentes canais digitais são a chave. O problema é que para essa chave funcionar e trazer o cliente até o seu empreendimento é preciso caprichar nas palavras-chave, assim como em outros detalhes.

Aí começamos a nos aproximar mais do tema deste artigo. Onde ficam ‘hospedadas’ essas palavras-chave? Essa também é fácil: em um ou mais textos. E onde ficam esses textos? Nos seus canais! Sendo assim, quanto melhores, mais relevantes e frequentes forem os textos dos seus canais, mais potenciais consumidores eles irão atrair, o que acaba gerando um relacionamento.

Agora leve essa lógica para o universo offline. Sim, ele ainda existe! Os mesmos textos que atraem o público via buscadores podem atraí-los por vários outros canais, como outdoor, folder, revista etc. Entendeu a lógica? Marketing de Conteúdo nada mais é do que gerar e distribuir conteúdo (online e offline) que ajude o público a resolver problemas, o que pode transformar você em uma autoridade no assunto e favorecer as vendas.

É certo que há muitos elementos importantes dentro da estratégia tida como linha mestra de todas as outras, mas a base é bem simples. Agora que já compreendemos isso, confira 10 dicas para qualificar o trabalho que pode diminuir muito seu investimento em mídia e publicidade:

  1. Defina muito bem para quem pretende falar (PERSONA), de modo a escolher melhor a linguagem;
  2. Tente imaginar quais são os principais problemas do seu público;
  3. Identifique várias palavras-chave que se identifiquem com esta PERSONA e com os problemas dela;
  4. Escolha os canais mais apropriados para distribuir este material, pensando, sempre, no perfil da PERSONA;
  5. Priorize conteúdo ‘evergreen’, ou seja, aqueles que não são perecíveis;
  6. Produza com frequência, não deixando sua PERSONA no vácuo;
  7. Evite gerar ou vincular sua marca a conteúdos polêmicos;  
  8. Lembre-se de relacionar seus conteúdos ao seu negócio e mercado, ou seja, fale do que entende;
  9. Procure interagir com público e responda sempre, não é um monólogo;
  10. Seja criativo no jeito de produzir e distribuir, o consumidor está exigente e recebe muita informação.

Autor do post: Danielle Fuchs, consultora de Marketing parceira da Florença





Você gostou? Compartilhe com seus amigos