Os desafios da gestão em tempo de trabalho remoto

Você também acha que nada substitui o bom e velho ‘olho no olho’? Não consegue se ver negociando com seus clientes ou coordenando suas equipes a distância por muito tempo e está aflito para voltar à rotina normal de trabalho?

Bem, se você passou pela transição da máquina de escrever para o computador, das fotos reveladas para as digitais e se já faz compras em lojas virtuais, fique calmo, você conseguirá atravessar por mais essa transformação sem maiores traumas! A mudança pode ser feita em etapas para que você tenha tempo de preparar seu software para mais este upgrade.

Para muitas empresas, o trabalho remoto tornou-se a única opção para continuar em atividade com a nova condição do distanciamento social. Mas o trabalho fora das estruturas tradicionais dos escritórios não é novidade e vem crescendo continuamente no mundo inteiro e também no Brasil. A gigante mundial Dell já tem uma política estabelecida para isso. A opção de trabalhar em casa se aplica a maioria dos funcionários, exceto, claro, para as funções de produção, logística e medicina, que exigem presença física. Inclusive, a empresa anunciou uma redução de 12 milhões de dólares como resultado dessa política.

Tecnologia e legislação

Aqui no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018 já éramos 3,8 milhões de pessoas trabalhando em home office e esse modelo crescia a uma taxa de mais de 20% ao ano. Em partes, esse aumento se deve também ao avanço da tecnologia; que oferece inúmeros aplicativos e sistemas para armazenamento e compartilhamento de dados, e da qualidade da internet, que asseguram a possibilidade de comunicação a distância. Nossa CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) se adaptou a essa realidade em dezembro de 2011 no artigo 6º da lei 12.551, que assegura os mesmos direitos para quem trabalha no estabelecimento do empregador ou para quem trabalha no próprio domicílio.

Mas para o trabalho remoto funcionar de fato é preciso mais do que tecnologia e respaldo legal. Iniciar o trabalho a distância sem maturidade organizacional suficiente é um grave erro. É necessário vencer algumas etapas anteriores para que o upgrade seja concluído com sucesso. Será que você e sua empresa estão preparados?

Seguem aqui três pontos importantes que servem como termômetro para verificar se sua gestão pode migrar para o trabalho remoto com facilidade ou se ainda terá um longo caminho pela frente. Vejamos:


1. Gestão com base em dados e indicadores: as informações da empresa como vendas, recebimentos, pagamentos, custos e estoques devem estar acessíveis e atualizadas em tempo real em um sistema integrado para que você não dependa de ter que perguntar para alguém ou ir até o setor para saber. Por exemplo, ter que entrar fisicamente no estoque.

Algumas dicas para chegar nesse estágio:

  • Implantação de um sistema ERP que, preferencialmente, atenda seu segmento de atuação.
  • Criação de procedimentos e processos operacionais que garantam a qualidade das informações.
  • Capacitação técnica da equipe.
  • Criação e acompanhamento de indicadores de gestão e resultado da sua empresa.


2. Equipe de alta performance: as pessoas devem estar alinhadas aos objetivos e valores da empresa, criando um ambiente com foco na solução de problemas. O ambiente deve ser propício à troca de ideias, criatividade e inovação. As pessoas devem trabalhar com autonomia porque têm clareza do planejamento da empresa e do resultado que precisa ser alcançado.

Algumas dicas para chegar nesse estágio:

  • Fazer um planejamento estratégico para que a empresa tenha um norte.
  • Criar critérios para seleção e contratação de pessoas que tenham um perfil alinhado com o propósito e os valores da organização.
  • Implementar, na medida do possível, uma política de cargos e salários.
  • Investir em capacitação continuada para a equipe.


3. Perfil de liderança: sua empresa é reflexo direto do seu comportamento e atitudes. Você é o maestro que deve conduzir a equipe através de caminhos pré-definidos para que a organização alcance o resultado almejado. Seja no modelo presencial ou remoto, o líder precisa gostar de gente, comunicar-se com eficiência (saber ouvir e saber falar), desenvolver seus liderados e ter um perfil empreendedor que traga consigo a automotivação, a resiliência, a persistência e a coragem para encarar novos desafios.

 Algumas dicas para chegar nesse estágio:

  • Buscar autoconhecimento.
  • Desenvolver as habilidades necessárias através de capacitações e treinamentos.
  • Participar de grupos com outros empresários.
  • Buscar auxílio através de mentoria e counseling.

A insegurança que a mudança gera é muitas vezes causada pela falta de preparo. Nós já sabíamos que haviam várias e profundas mudanças em curso. A crise atual da Covid-19 apenas acelerou algumas delas. Mas, como na historinha do sapo cozido, ficamos nadando na água morna sem perceber que ela estava esquentando. Agora ferveu. E aí, vamos saltar para fora ou morrer cozidos?

Autor do post: Adriana Moser, consultora de gestão da Florença





Você gostou? Compartilhe com seus amigos